window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-SS4D0CGZVY'); Pastor Moises Martins

Páginas

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2023

Homóxesual e namorado são suspeitos de matar mãe e padrasto fez ritual macabro de magia negra em cemitério


Daniel Cantarani, 36 anos, é o principal suspeito de assassinar a mãe e o padrasto. Antes de cometer o crime, o homossexual teria feito rituais macabros em cemitério da região, passando barro em todo o corpo, no intuito de que essa ação fosse suficiente para matar as vítimas. O crime aconteceu em Araçatuba (SP).

Após consultar um guru, Daniel passou a frequentar, à noite, o cemitério para fazer o ritual macabro, na expectativa de atrair a morte da mãe Magali, 61 anos, e do padrasto Lourival, 56. Para isso, o guru disse que ele precisava tirar a roupa e esfregar a terra do local no corpo todo. 

Pelado e coberto por barro, Daniel ainda teria que mentalizar a morte dos familiares. Após ter feito algumas sessões e ver que a promessa não tinha sido cumprida, o homem questionou o espiritualista, que disse que o serviço não deu certo porque Magali era uma pessoa muito boa, pura e "energizada". 

Em dezembro de 2022, Daniel teria contratado duas pessoas para executar o casal. O homem chegou a transferir R$ 15 mil para os contratados, porém a dupla desistiu. Impaciente, resolveu matar a mãe e o padrasto com as próprias mãos. Ele contou com a ajuda de Renato Balbino e da amiga Helenice do Nascimento, responsável por dopar o casal.

O plano era envenenar Magali e Lourival, colocar os corpos no porta-malas do carro do padrasto e atear fogo com o combustível trazido por Renato. Após o crime, eles conseguiram colocar o corpo do homem, porém, tudo foi por água abaixo quando o corpo da mulher não coube no veículo.

O rapaz fingiu ter encontrado o corpo da mãe na garagem de casa e ligou para a polícia, mas, durante as buscas no local, o corpo de Lourival foi encontrado no porta-malas de um carro, o que indicou a suspeita de participação de Daniel no homicídio.

Na madrugada do crime, vizinhos dizem que escutaram barulhos de agressão e de móveis sendo quebrados. As vítimas tinham diversos ferimentos que, segundo a polícia, podem ter sido provocados com pedaços de madeira ou pedras.

De acordo com a polícia, Daniel planejava matar os pais desde fevereiro de 2022. Durante o depoimento, o homem alegou que a motivação seria o fato de a mãe não aceitar sua orientação sexual, teoria que foi desmentida após a polícia encontrar indícios de que os suspeitos dos assassinatos queriam a herança e o seguro de vida do casal.

Daniel foi preso em flagrante, confessou o crime e entregou os outros dois envolvidos à polícia. Durante depoimento, o homem teria ainda tentado jogar a culpa no cúmplice. 

No momento em que a polícia chegou ao local do crime, o delegado responsável pelo caso disse que Daniel não demonstrou reação. "Ele tem um perfil frio e calculista que não aparenta nada. Ele não demonstrou em nenhum momento arrependimento ou emoção, ele não derramou uma gota de lágrima, não se mostrou emotivo, não se mostrou arrependido", contou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário