Páginas


sexta-feira, 4 de março de 2022

Maranhense sequestrado em canteiro de obras no Mato Grosso continua desaparecido

O jovem maranhense João Felipe Santos Bogea, de 23 anos, natural da cidade de Arari, sequestrado no dia 06 de fevereiro deste ano, em Jauru, no Mato Grosso, continua desaparecido. Ele estava trabalhando há sete meses na obra de uma hidrelétrica.

João Bogea trabalhava como ajudante, juntamente com outros maranhenses. “O motivo de ele ter ido trabalhar nessa obra foi para que pudesse garantir o sustento de uma filha recém-nascida”, diz um irmão do jovem.

Pelas informações de familiares, um grupo de homens armados entrou no alojamento da empresa Wiecheteck Engenharia Ltda., que presta serviço para a obra de construção da Usina Hidrelétrica do rio Guaporé, e levaram o jovem.

Os sequestradores fizeram ameaças contra os demais trabalhadores, que se encontravam no mesmo alojamento, e deram 24 horas para que deixassem a cidade.

"Eles disseram aos trabalhadores que não queriam ninguém de fora trabalhando na hidrelétrica. Eles pegaram o celular de meu irmão e perguntaram de onde ele era. Como achavam que ele tinha mentido, pegaram a carteira de identidade e viram que ele era do Maranhão. No celular, eles devem ter olhado alguma coisa que não gostaram. Não sei se relacionado a mulher. Em seguida, passaram a espancá-lo e o levaram”, disse um irmão de João Felipe.

No dia seguinte, os colegas de trabalho do jovem, que também estavam no local no dia do sequestro, retornaram ao Maranhão. Todos são residentes na cidade de Arari, onde prestaram depoimento sobre o caso.

A família do jovem tem mantido contato permanente com a polícia da Jauru, mas, até o momento, não tem nenhuma pista que leve ao paradeiro de João Bogea.

Quaisquer informações, deverão ser passadas à família pelos celulares (98) 98153-6827 e (98) 98335-4574.

Nenhum comentário:

Postar um comentário