Páginas


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

Golpista que furtou R$ 1,6 milhão de idosos em esquema de empréstimos fraudulentos é preso em Rosário; ele ostentava vida de luxo

Um homem, de iniciais R.M.B., foi preso por policiais civis, nesta quarta-feira (23), na cidade de Rosário, a 70 km de São Luís, pela prática furto mediante fraude, em formas qualificadas contra vítimas idosas, previsto no artigo 155, § 4º, II e §4ºC, II c/c 61, II, A, C, G e H, do Código Penal.

O mandado de prisão preventiva, expedido pela 1ª Vara da Comarca de Rosário, foi cumprido pela Delegacia Especial da Mulher, com apoio operacional da 1ª Regional de Polícia Civil e Polícia Militar, no bojo da Operação Ostentação.

Segundo informações da polícia, o golpista possuía uma loja física de empréstimos consignados, passando a imagem de empresa regularmente constituída, onde aplicava golpes superfaturando os valores emprestados e transferindo a diferença para sua própria conta.

O blog descobriu que o homem preso é Rennan Mendes Brito, proprietário da loja Cred Fácil Empréstimos, com endereço na Rua Heráclito Nina.

O blog descobriu que o homem preso é Rennan Mendes Brito, proprietário da loja Cred Fácil Empréstimos, com endereço na Rua Heráclito Nina.

A título de exemplo, uma vítima procurava a loja solicitando um empréstimo no valor de R$1.000,00 e o autor, aproveitando-se do baixo grau de instrução e idade avançada de suas vítimas, realizava a transação direto no caixa eletrônico no valor de R$5.000,00. Ele entregava os R$ 1.000,00 para vítima e transferia para sua própria conta a diferença de R$ 4.000,00.

As vítimas percebiam fraude somente na hora de receber seus benefícios previdenciários, que vinham com todos os descontos dos empréstimos, fazendo com que recebessem quantias irrisórias, insuficientes para seus sustentos.

Durante a investigação que durou cerca de 7 meses, foram identificadas movimentações financeiras na conta do golpista que ultrapassam R$ 1.600.000,00, sendo mais de R$ 800.000,00 somente em créditos.

A primeira etapa da investigação foi encerrada com um número significativo de vítimas, mas outras vítimas ainda estão sendo localizadas para as providências cabíveis.

Nas redes sociais, o golpista se apresentava como empreendedor. A Operação foi denominada ostentação porque ele divulgava, em um perfilo com mais de 20 mil seguidores, sua vida de luxo, com destaque para viagens e passeios de helicóptero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário