sábado, 19 de junho de 2021

Policiais civis matam portador de deficiência mental que dizia admirar o serial killer Lázaro Barbosa em Presidente Dutra

A nota oficial da delegacia de Presidente Dutra diz que a unidade policial recebeu diversas denúncias sobre as postagens do jovem e que ele também "teria publicado uma foto segurando uma faca, dando a entender que faria algo semelhante".

O jovem usava as suas redes sociais para exaltar os Estados Unidos da América e falar sobre compra de mísseis e bombas para promover uma guerra, segundo relatos de moradores

O jovem Hamilton César Lima Bandeira, que morava no povoado Calumbi, em Presidente Dutra, a 353 km de São Luís, foi morto na última quinta-feira (17) durante uma abordagem policial em sua residência.

Segundo relatos de familiares da vítima, o rapaz teria postado em uma rede social uma mensagem em apoio ao serial killer Lázaro Barbosa, que está sendo procurado pela polícia brasileira há mais de uma semana.

A família de Hamilton César alega que o rapaz tinha problemas mentais e que apesar de publicar esses conteúdos, não faria mal a ninguém.

Segundo relatos de moradores, Hamilton era bastante conhecido na região por usar as suas redes sociais para exaltar os Estados Unidos da América e falar sobre compra de mísseis e bombas para promover uma guerra no Povoado Calumbi, onde morava. Os policiais já tinham pedido para que o jovem parasse de fazer as postagens e ameaças.

Moradores relatam que, com o surgimento do caso do serial killer Lázaro Barbosa, o jovem andava falando que era fã do psicopata, o que teria provocado a ira dos policiais, que decidiram por sua execução.

Antes de ser executado, Hamilton estava jogando bola com algumas crianças na casa de uma vizinha. Ao terminar o seu lazer, ele foi para sua residência onde foi assassinado. O jovem ainda foi levado para um Hospital em Presidente Dutra, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A família está revoltada e promete lutar por justiça, pois entendem que os policiais agiram como justiceiros, sem nenhuma ordem judicial para invadir a residência e matar o jovem portador de deficiência mental sem motivos. Eles prometem fazer protestos no povoado Calumbi.

A nota oficial da delegacia de Presidente Dutra diz que a unidade policial recebeu diversas denúncias sobre as postagens do jovem e que ele também "teria publicado uma foto segurando uma faca, dando a entender que faria algo semelhante".

Segundo a PC, uma equipe de policiais foi deslocada até o endereço da vítima, que no momento estava na companhia de seu avô, um homem de 90 anos de idade. 

Ainda de acordo com a nota oficial, o rapaz "não atendeu a ordem policial, tentando atacar os policiais, os quais, diante da situação apresentada, tiveram que efetuar disparos de armas de fogo".

A nota também informa que o jovem chegou a ser socorrido, mas morreu.

Com informações do Gilberto Lima 

Nenhum comentário:

Postar um comentário