sexta-feira, 28 de maio de 2021

 

Lotação máxima

Por falta de leitos, São Luís pode transferir pacientes de covid-19 para outras cidades a partir de domingo




Alba Ramos is treated for MSF health workers in the intensive care unit inside of the COVID-19 unit operated by MSF in collaboration with Pérez de León II Hospital in Caracas, Venezuela. ---- Alba Ramos es atendida por el equipo de MSF en la unidad de cuidados intensivos de COVID-19 que MSF opera en conjunto con el Hospital Pérez de León II en Caracas, Venezuela.

Rede hospitalar da capital está próxima do colapso 

AQUILES EMIR

Caso seja mantido o ritmo de infecção por covid-19 e de ocupação de leitos hospitalares, a partir de domingo (30) São Luís poderá ser forçada a transferir pacientes para outras cidades, por falta de vagas nas redes pública e privada. O alerta foi feito, nesta sexta-feira (28), pelo governador Flávio Dino (PCdoB), para quem o quadro é preocupante com o surgimento de novos casos no estado.

Segundo a Secretária Estadual da Saúde, nas últimas 24 horas, foram 108 novos casos na capital e mais de mil em todo o Maranhão. O boletim da SES registra 38 novos óbitos no estado, e com isto o Maranhão soma 8.063 vidas perdidas para a covid-19.

O governador disse que, apesar do índice de ocupação de hospitais ser ameaçador em todo estado, algumas cidades ainda têm leitos desocupados, mas a torcida é para que não seja preciso se fazer a transferência de pacientes. O governador não disse se pretende pedir leitos fora do Maranhão.

Vale ressaltar que em janeiro São Luís foi demandada pelo  Governo do Amazonas para receber pacientes, devido à falta de oxigênio em Manaus, e agora a capital maranhense corre risco de ficar na mesma situação.

Eis o boletim d SES desta sexta-feira:

Agravamento – No seu balanço semanal, nesta sexta-feira, o governador disse que o Maranhão apresentou aumento nos casos ativos de Covid-19, porém mantém a taxa de contágio menor que 1%.

O aumento de casos, segundo ele, influiu na ocupação de leitos, que está acima de 98% para UTI e em mais de 88% para os leitos clínicos na capital. O cenário colocou o estado entre os quatro do país na posição de alta nos casos da doença.

Para controle da situação, o Governo prossegue com a ampliação de leitos, na capital e interior. Esta semana, serão abertos mais leitos em Grajaú (10 de UTI) e ampliação de leitos em Chapadinha.

Também haverá reforço na testagem de pessoas. Totalizam 600 mil testes recebidos e os pontos de testagem estão nos portos, ferryboat e aeroporto. A partir da segunda-feira (31), iniciam as testagens na rodoviária da capital.

(Com informações da Secap)

Nenhum comentário:

Postar um comentário