quarta-feira, 3 de julho de 2019

Depoimento do ex-delegado preso Tiago Bardal está confirmado pela Câmara

Tiago Bardal, expulso em junho da Polícia Civil do Maranhão
O ex-delegado de Polícia Civil e presidiário Tiago Bardal, exonerado dos quadros da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão, vai mesmo depor na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado nesta terça-feira, 2, da Câmara dos Deputados. A informação está na agenda do dia publicada pelo Portal da Agência da Câmara Federal.  Bardal está submetido a prisão cautelar.
A manutenção da oitiva do preso Tiago Bardal reforma uma decisão anterior oficializada pelo presidente da Mesa Diretora da Câmara, deputado Rodrigo Maia. Ele havia se manifestado contrário ao depoimento de Bardal, em atendimento a recurso interposto pela deputada Perpétua Almeida. Seguindo o expresso no regimento interno “a oitiva de pessoa submetida a pena privativa de liberdade ou a prisão processual no âmbito da Câmara só é permitido se solicitada por Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) ou pelo Conselho de ética e Decoro Parlamentar”, nas dependências da Câmara de pessoas presas. Não é este o caso do ex-delegado do Maranhão.
As oitivas de Bardal e do delegado licenciado Ney Anderson da Silva Gaspar atendem a requerimento de autoria dos deputados Aluisio Mendes e Paulo Teixeira, do PT de São Paulo. Na agenda não está mencionado depoimentos do secretário de estado de Segurança, Jefferson Portela, ou do superintendente de combate à corrupção, Roberto Fortes.
Ex- superintendente Estadual de Investigações Criminais, SEIC, Bardal foi preso em abril de 2018 por envolvimento com uma quadrilha de contrabandistas que atuava na capital maranhense. Solto em julho, Bardal voltaria à prisão desta vez por colaborar com a ação de assaltantes de banco no Maranhão, Pará e Tocantins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário