terça-feira, 25 de junho de 2019

Prefeitura de São Luís avança com Projeto Hortas Pedagógicas em escolas da rede municipal

O projeto colocado em prática pela gestão do prefeito Edivaldo envolve vários órgãos da administração municipal alcançando unidades de educação básica da zona rural e urbana, visando contribuir com a segurança alimentar e nutricional de estudantes, comunidade escolar e adjacências

                                         Alunos da rede municipal assistem à preparação dos canteiros para o plantioA gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior completa mais uma etapa do Projeto Hortas Pedagógicas, que reúne esforços das secretarias municipais de Educação (Semed) e de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), com o apoio do Instituto Municipal de Paisagem Urbana (Impur) e outros órgãos municipais. O objetivo do projeto é contribuir para a segurança alimentar e nutricional de estudantes, comunidade escolar e adjacências. Na última semana, foi concluído o trabalho de demarcação do solo e também se iniciou o levantamento dos canteiros as Unidades de Educação Básica (U.E.Bs) Major José Augusto Mochel, na zona rural, e Jackson Kepler Lago, na Cidade Operária, ambas da rede municipal.
O secretário Moacir Feitosa, titular da Semed, destaca o papel pedagógico do projeto, que vai explorar diversas habilidades dos alunos, tanto psicomotoras quanto disciplinares, ajudando inclusive a melhorar alguns conteúdos relativos à Biologia, Matemática e também Cidadania. Isto porque a parceria contempla não só ações práticas e técnicas, no que diz respeito ao plantio e cultivo de hortaliças, mas também oficinas e formações para professores, estudantes e outros servidores das escolas participantes.
"O Projeto Hortas Pedagógicas chega para somar às ações da Prefeitura de São Luís de melhoria da Educação na área da segurança alimentar e nutricional. É o somatório de cidadania, com o trabalho de conscientização da alimentação saudável e muito aprendizado", acrescenta o secretário Moacir Feitosa, ressaltando que a formação para professores, estudantes e demais membros da comunidade escolar está prevista para iniciar na primeira quinzena do mês de agosto.
A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o antigo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), atual Ministério da Cidadania, com apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Além da Semed e da Semapa, a Embrapa Cocais também é responsável pela execução do projeto na capital maranhense. Vale lembrar que o projeto piloto no Maranhão começou por São Luís, nas escolas da rede pública municipal.
No momento o projeto encontra-se em fase de implantação, com a demarcação e levantamento dos canteiros e os próximos passos incluem a preparação do solo (calagem e adubação orgânica), o plantio das mudas e sementes e acompanhamento das atividades (tratos culturais, manejo e condução do cultivo). A Semapa, parceira desde o início das atividades, será a responsável pela prestação de assistência técnica nos trabalhos de implantação e acompanhamento das hortas nas escolas. 
O técnico Júnior Soares, da Embrapa Cocais, que acompanhou a demarcação do solo e início do levantamento dos canteiros na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Augusto Mochel, no Maracanã, ao lado de alguns estudantes que irão participar do projeto, explicou que há cerca de dois meses foi feita a análise do solo das duas escolas e foi identificado um PH alto, sendo necessária a aplicação de calcário para corrigir essa deficiência. Na U.E.B. Augusto Mochel foram demarcados 10 canteiros de 10 metros cada um, num total de 100 metros quadrados. Outra área ao lado, de cerca de 100 metros quadrados, também receberá calcário para que seja construído o minhocário.
Soares informou ainda que logo após as formações, que acontecerão no mês de agosto, será realizada a etapa de conclusão dos canteiros, pois o solo já estará pronto para receber as hortaliças. "Vamos terminar de levantar os canteiros, cercá-los, montar toda a parte da irrigação, e fazer o plantio e transplantio das mudas. E isso tudo com a participação dos professores e estudantes, que já terão participado das oficinas", explica o técnico. Entre as hortaliças que serão plantadas estão cebolinha, coentro, alface, rúcula, maxixe, quiabo e vinagreira.
A professora Maria da Luz Costa Leitão, do 2º ano na U.E.B. Augusto Mochel, diz que o projeto trará novos conhecimentos para os alunos e também para os professores, além de fortalecer hábitos mais saudáveis para todos que formam a comunidade escolar, inclusive os familiares dos estudantes. "Muitos estudantes saberão como cultivar, porque consumir e o quanto são benéficos vários tipos de hortaliças que eles nem mesmo conheciam", observa a professora.
O estudante do 4º ano do Fundamental, Thalyson Ribeiro Pires, 9 anos, respondeu rapidamente a algumas perguntas feitas pelo técnico da Embrapa Cocais sobre a importância das frutas e hortaliças. "Aqui, neste canteiro, iremos plantar hortaliças que servirão pra nossa alimentação. Quando colhermos, elas irão para a cantina para ajudar a preparar nossa merenda. E com certeza nossa alimentação vai ficar mais saudável", disse Thalyson.
A gestora geral, Angela Maria de Araújo Dutra, diz que se sente muito feliz e privilegiada por ser a U.E.B. Augusto Mochel uma das escolas pilotos do município de São Luís e do estado do Maranhão a iniciar o Projeto Hortas Pedagógicas. "Somos pioneiros, e isso é um orgulho para nós da zona rural. E, além de já termos os alimentos que são produzidos pela Agricultura Familiar Rural, teremos a nossa horta aqui na escola, o que vai enriquecer ainda mais a nossa merenda escolar", assinalou a gestora, declarando já estarem todos ansiosos pelas próximas etapas, de formação e de plantio das mudas.
SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
O Projeto Hortas Pedagógicas é uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social, atualmente o Ministério da Cidadania, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Hortaliças e Cocais) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Em São Luís, o projeto é desenvolvido em parceria com as Secretarias Municipais de Educação (Semed) e de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), com o apoio de outros órgãos municipais, como o Instituto Municipal de Paisagismo Urbano (Impur).
Trata-se de um projeto concebido pela Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SESAN) e tem como principal objetivo utilizar a metodologia de implantação de hortas pedagógicas como ferramenta para garantir a segurança alimentar e nutricional de comunidades que apresentam alto índice de vulnerabilidade. Dessa forma, visa também contribuir com o desenvolvimento e aplicação dos conceitos de preservação ambiental e alimentação saudável e segura, além de utilizar a horta como um laboratório para aplicação do conteúdo adquirido em sala de aula.
A perspectiva é de que o projeto seja abraçado tanto pela comunidade escolar, quanto pela comunidade local, que promoverá o desenvolvimento de novas gerações mais ambientalmente responsáveis e preocupadas com a segurança alimentar. As atividades iniciaram em meados de 2018, com a mobilização dos parceiros e a seleção das escolas onde serão implantadas as hortas: U.E.B Augusto Mochel, localizada na zona rural e U.E.B Jackson Lago, na zona urbana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário