window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-SS4D0CGZVY'); Pastor Moises Martins

Páginas


quarta-feira, 12 de junho de 2024

Vídeo: jovem com deficiência intelectual, baleado por PM durante abordagem, morre em hospital, em São Luís 

Vitor Sousa da Silva, de 21 anos, de Lago Verde, morreu nessa terça-feira (11). Ele estava hospitalizado em um hospital em São Luís, por causa das complicações do ferimento.  

Após passar por uma cirurgia em um hospital de São Luís, um homem com deficiência intelectual, identificado como Vitor Sousa da Silva, de 21 anos, morreu nessa terça-feira (11). Ele estava hospitalizado por causa de um tiro que levou durante uma abordagem policial na cidade de Lago Verde, a 286 km de São Luís.

Antes de ser baleado, no dia 1º de janeiro deste ano, Vitor teria se envolvido em uma briga dentro de um bar da cidade. Por causa da confusão, as pessoas chamaram a Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) para intervir.

De acordo com a PM, Vitor estava ameaçando um comerciante com uma faca. Após a chegada da polícia, os agentes renderam o jovem e iniciaram a abordagem, que foi toda filmada por um celular (vídeo acima).

Nas imagens, é possível ver dois policiais militares abordando o jovem, que coloca as mãos na cabeça. Em seguida, um dos policiais ordena que Vitor fique parado e levante a camisa, nesse momento, o PM dá um tiro à queima-roupa no jovem, que cai no chão..

Vitor foi levado para o Hospital Laura Vasconcelos, em Bacabal, onde ficou alguns dias internado antes de ser transferido para o Hospital Carlos Macieira, em São Luís.


Por causa das complicações do ferimento, Vitor perdeu um rim, parte do intestino e os movimentos das pernas. 


Em nota, a Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) disse que continua com as investigações do caso.

Já a Secretaria de Segurança Pública do MA (SSP-MA) informou que o comando da PM-MA abriu um inquérito policial militar para apurar o caso. O resultado do inquérito será levado ao Poder Judiciário. Além disso, os policiais militares, caso seja comprovada a culpa deles, vão responder de acordo com a lei.















Nenhum comentário:

Postar um comentário