Páginas


quarta-feira, 18 de maio de 2022

Abalou a Câmara de vereadores 

Vereadora é vítima de vazamento de vídeo íntimo, a jovem parlamentar pensou em suicídio 


A Polícia Civil de Mato Grosso no município de Colíder, a 650 km de Cuiabá investiga o vazamento de um vídeo íntimo da vereadora Maria Helena Cordeiro (PSD). A vítima registrou um boletim de ocorrência na semana passada, após ser informada que o material estaria circulando em grupos de WhatsApp e páginas de “humor e fofoca” nas redes sociais.

De acordo com o site Gazeta Digital, a vereadora relatou à polícia duas hipótese que podem ter relação com o vazamento.  A primeira foi a clonagem do seu celular clonado em abril de 2021. A outra foi que deixou o aparelho para manutenção em uma assistência técnica.

A polícia vai investigar o vazamento. Se o autor do crime for identificado, pode ser punido com pena de 1 a 5 anos de prisão.

A vereadora comentou que cogitou cometer suicídio após tomar conhecimento do vazamento do vídeo.

Se me perguntassem hoje se eu tentaria suicídio, digo que pensei várias vezes nisso. Foi um momento difícil, mas está passando. […]Não é fácil ter sua imagem divulgada e isso é complicado para a mulher e qualquer ser humano. Eu acredito que mais por ser uma pessoa pública, porque se não estaria até mais calmo, mas eu estou aqui e vamos procurar quem fez isso”, disse ela em entrevista ao SBT.

A assessoria da vereadora publicou a nota abaixo:

A respeito do episódio envolvendo a vereadora por Colíder, Maria Helena, a defesa da parlamentar,  sob responsabilidade do advogado Maurício Ricardo, vem a público esclarecer que:

– A parlamentar foi vítima de um grave crime contra sua honra, com o vazamento e a divulgação de um vídeo íntimo, envolvendo a parlamentar;

– Com as recentes mudanças na legislação, incorre em crime não apenas o responsável pelo vazamento, mas também quem distribui e compartilha este material;

– A defesa já tem uma relação com diversos nomes de pessoas que podem ter compartilhado o material ou atacado a honra da parlamentar, material este que já está nas mãos das autoridades competentes;

– Todas estas pessoas, além daquelas que ainda serão identificadas pelas autoridades competentes, serão devidamente responsabilizadas, tanto na esfera cível quanto na criminal;

– As redes sociais não são terra sem lei e é plenamente possível identificar todos os autores deste lamentável ato;













– Se você recebeu o vídeo, não abra e não compartilhe, sob pena de também incorrer em um crime”.

Com informações do Nova Iguaçu 24

Nenhum comentário:

Postar um comentário