Páginas


segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Racismo

Revoltante: Montador de móveis denuncia agressões físicas e ataque racista dentro de residência de contratante de serviços em São Luís

Segundo Nildo, em seguida, após 20 minutos, o homem passou a agredi-lo fisicamente. Depois disso, o agressor passou a chamá-lo de preto otário, burro, negrinho, merda e morto de fome.

O homem identificado como Nildo Sá, montador de móveis e técnico em refrigeração, denunciou, na noite dessa segunda-feira (06), em vídeo compartilhado nas redes sociais, que foi vítima de agressões e de crime de racismo, na noite do último sábado (4), dentro de uma residência no Jardim Coelho Neto, no bairro Cohama, em São Luís.

Ele relata que tem uma empresa de mudanças, e foi contratado por um homem, identificado como Fábio, para transportar móveis de um apartamento na área da península da Ponta d´Areia para uma casa no Jardim Coelho Neto, no bairro Cohama. 

Os trabalhos começaram na sexta-feira e foram concluídos no sábado, quando todos os móveis foram transportados para a nova casa. Nildo foi à residência de Fábio, por volta das 19h, para fazer a montagem de um painel.

Ele diz que foi recebido pelo próprio Fábio, que estava em companhia de outros homens. Quando ele adentrou a casa, pouco tempo depois um dos homens começou a brincar, mas Nilton não respondeu à brincadeira.

“Ele perguntou se eu não gostava de brincar e respondi que, quanto eu estava trabalhando, não gostava de brincadeira”, afirma o montador.

Segundo ele, em seguida, após 20 minutos, o homem passou a agredi-lo fisicamente. Depois disso, o agressor passou a chamá-lo de preto otário, burro, negrinho, merda e morto de fome.

“Chega! O racismo chegou muito longe. Acabou! Procurei uma delegacia de polícia e registrei boletim contra todos eles. Muita gente dentro da casa e ninguém fez nada para evitar que eu fosse agredido”, desabafa Nildo Sá.

No Twitter, o deputado Bira do Pindaré (PSB) afirma que vai levar o caso à Comissão de Direitos Humanos da da Câmara Federal.

“Gravíssima a denúncia de Nildo Sá. Vou representar perante a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal pedindo providências das autoridade policial e do MP exigindo apuração imediata e que não seja mais um caso impune. Racismo é crime. Chega!”, diz o parlamentar.

Com informações do Gilberto Lima 

Postagem relacionadas 


Veja outras novas matérias policiais abaixo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário