Páginas


sexta-feira, 24 de dezembro de 2021

Menina de 10 anos morre ao prender respiração em desafio do TikTok

O desafio fazia parte de uma competição para ver quem segurava por mais tempo a respiração.




Após tentar cumprir um desafio que viralizou no TikTok, intitulado “Blackout Challenge”, a menina Nyla Anderson não resistiu e acabou falecendo, aos 10 anos de idade.

A tragédia aconteceu no dia 12 de dezembro, na cidade de Chester, na Pensilvânia (EUA). O desafio consistia em uma competição entre os usuários da rede social para ver quem consegue ficar sem respirar por mais tempo, até desmaiar.

Em entrevista à emissora ABCa mãe de Nyla, Tawainna Anderson, disse que quer alertar outros pais sobre os perigos dos “desafios virais” da internet, para tentar evitar que o mesmo aconteça com outras crianças.

“Sempre verifique os telefones dos seus filhos”, aconselhou. “Você nunca sabe o que pode encontrar lá. Eles são crianças e não sabem o que estão fazendo”.


De acordo com Tawainna, a filha morreu no quarto, quando a família estava em casa. “Ninguém estava dentro do quarto com ela quando isso aconteceu, então não havia ninguém lá para salvá-la”, lamentou. Assim que foi encontrada, Nyla foi levada às pressas para um pronto-socorro, mas acabou não resistindo.

As autoridades médicas afirmam que a falta de oxigênio pode levar a parada cardíaca e outros perigos, como danos significativos a órgãos, incluindo danos cerebrais.

A mãe descreveu a menina como divertida e inteligente, que falava três idiomas. “Ela era tudo. Ela era uma criança feliz”, ressaltou. “Estou tão triste. Esta é uma dor que nunca vai embora”, desabafou.

O que diz o TikTok

Em comunicado divulgado à imprensa, a rede social TikTok afirmou que deu os primeiros passos da indústria para proteger os adolescentes e promover experiências adequadas à idade, incluindo fortes configurações de privacidade padrão para menores.

“A plataforma também bloqueou conteúdo em seu aplicativo, incluindo hashtags ou frases que estivessem relacionadas ao desafio”, diz o comunicado. Pelo menos 10 mortes relacionadas a esse desafio já foram relatadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário