Páginas


sexta-feira, 29 de outubro de 2021

Polícia prende homem que agrediu e xingou atendente com palavras racistas em Santa Inês

Prisão aconteceu no município de Bacabal. Rogério Pereira Soares se disse arrependido.

A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira (28) o homem que aparece em um vídeo agredindo verbal e fisicamente uma atendente em uma lan house, em Santa Inês, a 250 km de São Luís. O homem também profere palavras racistas.

A atendente da lan house, identificada como Magda Guedelha, registrou o caso na delegacia. Um vídeo gravado com celular, flagrou o momento dos ataques racistas e registrou a vítima dizendo que chamaria a polícia.

A prisão aconteceu após a Polícia Civil ser informada de que ele havia embarcado em um ônibus com destino a Bacabal. Ao chegar na rodoviária, os policiais prenderam o homem, que foi identificado como Rogério Pereira Soares.

Na Delegacia, Rogério afirmou que é baiano e se disse arrependido pelo que fez na lan house. A comissão de Promoção à Igualdade Racial da OAB-MA também acompanha o caso.

"O autor, se utilizando de elementos de raça, ofende a honra e a dignidade da vítima e tipifica a conduta de injúria racial prevista no Código Penal", afirmou o presidente da comissão, Erik Moraes.

O caso foi registrado nessa quarta-feira (27). De acordo com Magda, Rogério tentava utilizar os serviços de acesso à internet enquanto ingeria bebida alcoólica, o que já teria sido vetado pela proprietária do estabelecimento.

“Ontem ele tentou acessar pela manhã com uma latinha e eu neguei atendimento. Quando eu cheguei do meu almoço, ele tentou de novo e não deixei. Na terceira vez, ele veio transtornado, deixou o dinheiro em cima do balcão e já foi entrando na cabine”, disse a funcionária

A jovem explicou que não iria liberar o acesso do cliente porque ele estava "muito bêbado”. "Eu disse que eu não iria liberar o acesso porque ele estava muito bêbado, que quando ele tivesse sóbrio eu liberaria pra ele", contou.

“Ele ficou muito transtornado, quis me bater, jogou o boné em mim, tentou atingir a minha cor, a minha raça, mas não me atinge, porque eu sei que eu sou maravilhosa, sou uma preta maravilhosa, e xingou minha mãe”, contou a atendente.

Por se sentir ameaçada, Magda disse que foi à delegacia da cidade prestar queixa. “Eu tenho que me prevenir de algum jeito porque vai que ele tá com sangue no olho e quer me bater por aí?”, contou.

O coordenador da União de Negras e Negros pela Igualdade (Unegro) de Santa Inês, Davi Morais, também informou que estão fazendo o acompanhamento e uma advogada já articula levar o caso à Justiça.

Com informações do G1 MA

Nenhum comentário:

Postar um comentário