sábado, 15 de maio de 2021

 

Pesquisa Datafolha mostra que parcela de apoiadores ao impeachment de Bolsonaro é maior que a dos contrários


Há um empate técnico com a margem de erro de dois pontos 


O jornal Folha de S.Paulo publicou, neste sábado (15), pesquisa do Instituto Datafolha em que, pela primeira vez, a parcela da população que apoia o impeachment do presidente Jair Bolsonaro é maior do que a dos contrários ao seu afastamento. Seriam favoráveis ao processo de cassação, 49% dos entrevistados ouvidos pelo instituto, ante 46% que se dizem contrários.

De acordo com o instituto, os índices representam um empate técnico dentro da margem de erro, que é de dois pontos para mais ou para menos e praticamente se inverteram em relação a uma pesquisa de março deste ano, do mesmo institituto, quando 50% afirmavam se opor ao impeachment, ante 46% que se declararam a favor.

O Datafolha di, que entrevistou, presencialmente, 2.071 pessoas em todo o Brasil na terça-feira (11) e na quarta-feira (12). O nível de confiança seria de 95%.

Para a Folha de S.Paulo, os números confirmam “a tendência detectada em relação ao impeachment reflete os números negativos para Bolsonaro apontados em outros pontos da pesquisa feita nesta semana”.

O presidente, por exemplo, atingiu sua pior avaliação no mandato nos levantamentos do Datafolha e apareceu muito atrás de seu principal adversário na corrida eleitoral para 2022, o ex-presidente Lula, do PT”, acrescenta.

O jornal destaca outros recortes da pesquisa, como a avaliação dk governo. “Avaliam o governo Bolsonaro como ótimo ou bom 24% dos entrevistados, queda de seis pontos percentuais em relação a dois meses atrás”, informa.

Quanto à preferência eleitoral, o Datafolha diz que 54% não votariam de jeito nenhum na reeleição do atual mandatário. Em simulação de segundo turno com Lula, teve 32% das intenções de voto, ante 55% do petista.

Apoiadores – Datafolha mostra que a oposição ao impeachment é maior em alguns segmentos que apoiam Bolsonaro em outros campos da pesquisa.

A reprovação ao impeachment vai a 52% entre homens e no Sul do país. Também sobe para 60% entre entrevistados que dizem não ter medo do coronavírus, 57% entre evangélicos e 56% entre assalariados registrados.

Já o apoio ao afastamento cresce entre jovens de 16 a 24 anos (57%), moradores do Nordeste (também 57%), desempregados que procuram emprego (62%) e entrevistados que dizem ter muito medo do coronavírus (60%).

(Com informações da Folha de S.Paulo)


Nenhum comentário:

Postar um comentário