terça-feira, 26 de janeiro de 2021

 

Para entender o rebote de CoVID-19 no Maranhão…

Foi por causa das eleições ou festas de festas de fim de ano ?

A provável segunda onda de contaminação do coronavírus no estado gerou um debate político entre setores da mídia e o secretário Carlos Lula; mas basta calcular os dias de encubação do vírus para se ter ideia de quando esse crescimento se iniciou


As aglomerações de fim de ano repercutiram agora nos boletins da coVID-19

Desde esta segunda-feira, 25, com a admissão pelo secretário de Saúde Carlos Lula de uma iminente segunda onda de contaminação por CoVID-19 no Maranhão, abriu-se um daqueles debates políticos que tendem mais a confundir que a explicar.

Lula atribui o rebote do coronavírus às festas de fim de ano; já a mídia, entende que tudo começou mais atrás, com as aglomerações durante a campanha eleitoral.

Mas pela lógica científica – usada pela própria mídia quando convém – é o secretário quem tem razão.

Ora, se o período de incubação do vírus no organismo humano é de cerca de 14 dias, e as eleições acabaram em 29 de novembro, os efeitos da segunda onda deveriam ser sentidos ainda em dezembro, antes mesmo das festas de fim de ano.

O recrudescimento da doença agora, depois de meados de janeiro, é a confirmação clara de que o vírus voltou a se espalhar mesmo durante as festas de fim de ano.

É simples assim… 


Por Marcos Aurélio D'eça

Nenhum comentário:

Postar um comentário