sábado, 7 de novembro de 2020

 

Candidatos vão gastar R$ 8,7 milhões do Fundo Eleitoral na disputa pela Prefeitura de São Luís

Neto Evangelista é o candidato que recebeu mais dinheiro para sua campanha: R$ 2,9 milhões (foto divulgação)

PRTB e Novo abriram mão da doação do Fundo Eleitoral

AQUILES EMIR

Quase toda ela sustentada com dinheiro publico, do Fundo Eleitoral, a campanha para definir o novo prefeito de São Luís terá um custo superior a R$ 8,7 milhões. Esta, pelo menos, é a soma do que já receberam os dez concorrentes, de acordo com dados disponíveis no site Divulgacand do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com os números, o deputado estadual Neto Evangelista (DEM), da coligação Vamos Juntos por São Luís, é o que dispõe de mais recursos para tocar sua campanha, cerca de R$ 2,9 milhões, enquanto Hertz Dias (PSTU) foi o que recebeu menor quantia, R$ 16,1 mil.

Desses candidatos, os únicos que contribuíram com suas próprias campanhas foram o deputado federal Rubens Júnior (PCdoB), que doou R$ 10 mil, e o pastor Sílvio Antônio (PRTB), que desembolsou R$ 30 mil. A maioria ficou na dependência do dinheiro do contribuinte.

Saiba qual foi até esta sexta-feira (06) a receita de cada candidato:

  • Bira do Pindaré (PSB) – 1.454.040,62
  • Duarte Júnior (Republicanos) – 1.728.800,00
  • Eduardo Braide (Podemos) – 1.330.000,00
  • Hertz Dias (PST) – R$ 16.100,00
  • Jeisael Marx (Rede Sustentabilidade) – R$ 130.745,00
  • Neto Evangelista (DEM) – R$ 2.920.000,00
  • Professor Franklin (PSOL) – R$ 147.857,14
  • Rubens Júnior (PCdoB) – R$ 692.236,00
  • Sílvio Antônio (PRTB) – R$ 35.105,00
  • Total – R$ 8.711.383,76

Apenas um candidato a prefeito – Sílvio Antônio (PRTB) – não utiliza dinheiro do Fundo Eleitoral. Além do seu desembolso, ele recebeu doações de outros admiradores. Já o Partido Novo, que tem candidato apenas a vereador, também não usa dinheiro público, mas das doações de seus filiados.

Fundo Eleitoral – O Fundo Especial de Financiamento de Campanha mais conhecido como fundo eleitoral é destinado a custear campanhas eleitorais. Para a eleição deste ano, a previsão de um gasto superior a R$ 2,034 bilhões. O Partido dos Trabalhadores (PT) receberá o maior montante, cerca de R$ 201 milhões, seguido pelo Partido Social Liberal (PSL), com cerca de R$ 199 milhões, e pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), com aproximadamente R$ 148 milhões.

Apena dois partidos – o Novo e o PRTB – comunicaram à Justiça Eleitoral a sua decisão de abrir mão dos recursos do FEFC para financiar as campanhas políticas de seus candidatos a prefeito e vereador.

Fonte: Aquiles Emir

Nenhum comentário:

Postar um comentário