terça-feira, 28 de janeiro de 2020

PM que fez apologia ao feminicídio é suspeito de agredir e ameaçar pessoas em festa de aniversário; Jefferson Portela garante que ele será investigado

O secretário de Estado da Segurança, Jefferson Portela, disse que o policial militar Thiago de Jesus será investigado por apologia ao crime. 

Nas redes sociais, o PM fez comentários que culpam vítima em um caso de feminicídio registrado no fim de semana na capital.

"Continuem traindo seus homens. Jaja tomarão o mesmo destino dela. Ela sabia as consequência da merda que ela estava fazendo", escreveu o PM. Pelas informações, pós a repercussão, ele apagou seus perfis nas redes sociais.

“Feminicídio é crime e como tal deve ser tratado por todos os integrantes do Sistema de Segurança. Informo que foi instaurado procedimento para apurar a conduta do Soldado PM Tiago de Jesus”, disse Portela, nas redes sociais.


Bruna Lícia foi morta a tiros, juntamente com o amigo Willian Santos, pelo companheiro, o PM Carlos Eduardo Nunes, na tarde de sábado (25), no condomínio Pacífico 1, no bairro Vicente Fialho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário