sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Sarney repudia filho de Bolsonaro que sugeriu retorno do AI-5

O ex-presidente da República, José Sarney (MDB), repudiou o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que, em recente entrevista, sugeriu o retorno do Ato Institucional nº 5, editado em 13 de dezembro de 1968, no período mais duro da Ditadura Militar, e que deixou um saldo de cassações, direitos políticos suspensos, demissões e aposentadorias forçadas.
Sarney lamentou o fato do parlamentar, que começou seu mandato jurando a Constituição, sugerir, agora, um ato que irá viola-la drasticamente.
Abaixo, veja o posicionamento do político maranhense.
Fui o Relator no Congresso Nacional da Emenda Constitucional que extinguiu o AI-5, enviada pelo Presidente Geisel.
Presidi a Transição Democrática, que convocou a Constituinte e fez a Constituição de 1988. Sua primeira cláusula pétrea é o regime democrático.
Lamento que um parlamentar, que começa seu mandato jurando a Constituição, sugira, em algum momento, tentar violá-la.
Devemos unir o País em qualquer desestabilização das instituições. E sei que expresso o sentimento do povo brasileiro, inclusive das nossas Forças Armadas, que asseguraram a Transição Democrática, que sempre proclamei que seria feita com elas, e não contra elas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário