quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Familiares creditam a morte da balconista ao assassinato do pastor Anderson do Carmo. Foto: Plantão Enfoco
Familiares creditam a morte da balconista ao assassinato do pastor Anderson do Carmo. Foto: Plantão Enfoco
Pouco mais de quatro meses depois do irmão, a cunhada da deputada federal Flordelis, a balconista Michele do Carmo de Souza, de 39 anos, morreu. O corpo foi sepultado na tarde desta terça-feira (22), no Memorial Parque Nicteroy, no Laranjal, São Gonçalo. A parlamentar lamentou a morte pelas redes sociais, mas não compareceu ao enterro.
Dezenas de pessoas, entre familiares e amigos, prestaram as últimas homenagens à balconista, que trabalhava em uma padaria.
Matheus do Carmo, de 19 anos, que é o filho mais velho – de três – de Michele, contou que a mãe ficou extremamente abalada após a morte do irmão, o pastor Anderson do Carmo, marido de Flordelis, que foi assassinado, na madrugada do dia 16 de junho, após retornar para casa, em Niterói.
“Depois da morte do meu tio, as coisas pioraram muito. Ela ficou muito triste e a doença só se agravou. Agora sem ela eu não sei o que vamos fazer. Deus cuidará daqui para frente”, declarou.
O vereador de São Gonçalo e filho da deputada, Misael Andrade, compareceu ao sepultamento, mas não quis falar sobre o assunto com a imprensa. O advogado da família, Ângelo Máximo, credita a morte da balconista à morosidade para resolução do crime.
“Ela tinha um problema de saúde, que após a morte do Anderson se agravou de forma ligeira. Essa sensação de impunidade que matou a Michele”, frisou o advogado.
Pelas redes sociais, Flordelis se solidarizou com a família da cunhada e disse ter recebido com tristeza a notícia. A parlamentar, no entanto, não compareceu ao sepultamento.
“Só quem conhece a mensagem do Evangelho pode compreender a sinceridade da dor no meu coração (…) Neste momento, eu oro pela minha sogra, porque só uma mãe sabe a dimensão da dor da perda de um filho, de uma filha”, escreveu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário