terça-feira, 29 de outubro de 2019

Citação a Bolsonaro pode levar caso Marielle ao STF

A Polícia Civil do Rio de Janeiro teve acesso ao caderno de visitas do condomínio Vivendas da Barra, na Zona Oeste do Rio, onde têm casa o presidente Jair Bolsonaro e o ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado da morte da vereadora Marielle Franco. No dia 14 março de 2018, horas antes do crime, o ex-PM Élcio Queiroz, outro suspeito do crime, anunciou na portaria do condomínio que iria visitar Jair Bolsonaro e acabou indo até a casa de Lessa, segundo informações divulgadas pelo Jornal Nacional nesta terça-feira.
O caderno de registros do condomínio informa que, às 17h10 do dia do crime, uma pessoa de nome Élcio a bordo de um Logan prata anunciou que iria até a casa número 58, que pertence ao presidente Jair Bolsonaro. No condomínio, também mora o filho Carlos Bolsonaro na casa 36.
À polícia, o porteiro afirmou que ligou para a casa 58. E que uma pessoa que ele identificou como sendo o “seu Jair” liberou a entrada de Élcio Queiroz. O suspeito, no entanto, foi até a casa 66, onde mora Ronnie Lessa. O porteiro, então, telefonou novamente, e o mesmo “seu Jair” teria dito que sabia para onde ele estava indo. Conforme a reportagem, no dia da visita, no entanto, Bolsonaro estava em Brasília e não em sua casa no Rio de Janeiro. O então deputado federal registrou a presença em duas votações na Câmara.
Lessa é acusado pela polícia de ser o autor dos disparos que mataram Marielle o seu motorista, Anderson Gomes; e Queiroz é suspeito de ser o motorista do carro que levava o matador. Os dois foram presos no dia 12 de março deste ano.
Segundo o Jornal Nacional, a citação a Bolsonaro pode levar a investigação da morte de Marielle ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo fato de o presidente ter foro privilegiado. Representantes do Ministério Público do Rio que investigam o caso foram até Brasília no último dia 17 de outubro para consultar o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, sobre se poderiam continuar com a investigação. Eles, no entanto, ainda não obtiveram resposta.
Para melhorar o atendimento à população pinheirense, o deputado estadual, Dr. Leonardo Sá (PL), solicitou ao governador, Flávio Dino (PCdoB), a realização de serviço de reforma das instalações do prédio da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (AGERP), da cidade de Pinheiro-MA, através da Indicação n°. 1135/2019.
A AGERP tem feito um bom trabalho no município, mas precisa de infraestrutura para ampliar e melhorar os serviços prestados a comunidade.
“A reforma se faz necessária para melhorar a atendimento de toda a população que muitas vezes vem de longe, da zona rural, a procura de apoio e soluções para a agricultura familiar crescer na região, e merecem um local com uma boa infraestrutura para recebê-los e tenho certeza que o governador atenderá a nossa solicitação”, afirmou o deputado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário